MOMENTO DE REFLEXÃO!

Não faça nada daquilo que possas te arrepender, pois, se o arrependimento vier não terás o que fazer

quarta-feira, 31 de março de 2010

1º Festival Temático "LA COMPARSA DA CANÇÃO".



Em 26/03/2010, estivemos participando do 1º Festival Temático "LA COMPARSA DA CANÇÃO", festival este que teve a organização do Centro de Treinamento La Comparsa e a coordenação do Músico, locutor e parceiro de jornadas Jaime Ribeiro. O dito evento nasceu com o objeto principal de revelar novos talentos, da música e da poesia, o que para isso poderiam receber a paleteada de um padrinho para dar o suporte. Cada participante foi sorteado com um diferente tema para desenvolver, e tivemos a felicidade de receber juntamente com o jovem músico Eduardo Dedéco, o tema "de linhas e espinhéis" e em cima desse tema fizemos a obra "Avios de solidão". O resultado foi consequência do excepcional trabalho do Dedéco na composição musical e apresentação do trabalho. O resultado foi:

1º Lugar- Gateado - Tema: cavalo - Letra de Armando Vasquez e música de Adão Quintana - Interpretaçao de Eduardo Martins (Foto).

2º Lugar - Avios de Solidão - Letra de Jorge C. Soares e música de Eduardo Dedéco na interpretação do mesmo Dudu Dedéco.

3º Lugar - Pai de fogo - Tema: Idem - Letra de Sérgio Itamar e música de Henrique Salgueiro - Interpretação de Vitor Salgueiro.

Melhor letra temática: Avios de Solidão - Jorge Claudemir Soares.

Música mais popular: Galpão de estância - Flávio Saldanha e Maurício Soares.

Melhor Intérprete: Vitor Salgueiro

Melhor Instrumentista: Vani Viera.

Nosso abraço aqueles que tiveram a árdua tarefa de julgar os trabalhos: Ten. Coronel Miguel Machado, Insp. Arlindo de Almeida Junior, Clademir Soares (Bimbo) e Miguel Villalba.

sábado, 13 de março de 2010

SOLIDÃO.



Solidão... é tê-la, e não poder tocá-la,
ouvir tua súplica e nada poder fazer
gritar por socorro e ninguém ouvir.
É sentir-me perdido numa multidão,
quando o mundo passa apressado.
Mesmo sabendo-me desesperado,
quem se importa com minha solidão?

Solidão... é saber-te tão longe,
quando sentimo-nos tão perto;
saber que planejamos tudo certo,
mas, omitimos as circunstâncias;
A estrada é inimiga do sentimento,
um dia, embora em pensamentos
teremos de vencer nossas distâncias.


Solidão... é ver a bruma da noite escura,
cerrar todas as cortinas pra luz do dia,
e eu em frenesi buscar-te numa máquina,
mas, tua voz, é só o som de uma tecla fria.
Pela janela cibernética do mundo
tento ver-te, em desespero profundo,
e, não estás! Era o que eu mais temia.

Solidão... é renascer para a vida,
contrariando todo um sistema,
e sentir-se um adolescente.
É descobrir um dia, que a gente,
vai unir, e viver a nossa ansiedade,
vencer todas as adversidades
e ter de separar-se novamente.

Solidão...é vencer as horas mortas,
em inútil vigília de quem ronda ânsias
varar madrugadas aqui nesta espera,
e quando vens encher minhas taperas
não consigo ver as nossas verdades,
antes de ires já estou com saudades
pois nossos encontros são só quimeras.