MOMENTO DE REFLEXÃO!

Não faça nada daquilo que possas te arrepender, pois, se o arrependimento vier não terás o que fazer

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

NARRATIVAS CURTAS.

No dia 27 próximo passado, estivemos presente em solenidade de encerramento de atividades da Escola Livre de Belas Artes (ELBA), referente ao ano de 2009, no Centro Cultural Pedro Marini. Na ocasião, recebemos a premiação de 2º Lugar do III Concurso Elba de Narrativas Curtas, ao qual fizemos juz com o conto "O lado de cima".

Queremos aqui prestar um agradecimento ao Poder Público Municipal, por dar ênfase a esse tipo de evento cultural, em que podemos expor nossas criações culturais amadoristicamente.

Abaixo a medalha que recebemos como premiação:



sábado, 28 de novembro de 2009

ENART 2009.



Participamos neste mês de Novembro em Santa Cruz do Sul, da final do maior encontro de Arte amadora da América Latina, o ENART 2009, nas modalidades de conto e poesia inédita, onde viemos a lograr êxito com a premiação de terceiro lugar na modalidade Poesia Inédita, sendo que fomos o único uruguaianense premiado neste evento, concorrendo por Uruguaiana. Por uma falha da organização do evento, que não comunicou a premiação à 4ª RT, deixamos de comparecer ao local da entrega dos troféus - o que veio nos deixar bastante frustrados - mas ato este que já está sendo providenciado pela diretoria da entidade da qual fizemos parte, e que em breve devemos estar espondo aqui neste espaço a foto do Troféu tão almejado.Abaixo está postada a poesia premiada:

De seca e enxurrada.

Tremeluz o sol na coxilha,
ameaçando o pasto do Outono.
O campeiro, perde o sono
pedindo que Deus ajude,
que pr'uns dias o tempo mude,
e faça cair uma chuva,
pois, se não, o que se muda
é a querência do homem rude.

Se a seca não der uma trégua,
aos poucos o gado definha,
e o campeiro se avizinha
dos luzeiros da cidade.
Vai camperear dignidade
nos amontoados urbanos,
viver sem nome, orelhano,
vender a força e a idade.

Lá sim, a seca tá braba!
Nem tem mais o que salvar.
Quando o campeiro chegar
e desemalar os apêros,
embretará um pesadelo
maior que esse do campo,
só sobrará o desencanto,
a fome e o desespero.

Não terá mais o seu pingo,
nem o churrasco na brasa;
o galpão não será casa,
e não terá o chimarrão.
Se um piazito chorão,
reclamar da barriguinha,
talvez, não tenha a farinha
pra dar um jeito num pão.

Quando o sul vestir o poncho,
a chuva, já nem lhe importa.
Suas raízes estarão mortas
e não mais será um campeiro,
será somente um povoeiro
vivendo, “se Deus quiser”,
levando de tiro a mulher
e a prole de um changueiro.




Se lembrará com saudade,
das coisas lá da campanha
vai estancar com uma “caña”
a estiagem de sustento,
construirá apartamentos
pra conseguir os munícios,
e ruminará os resquícios
de recuerdos de outros tempos.

Lá no povo tudo é seca,
da bóia, aos sentimentos;
ninguém escuta lamentos
e pouco importa o irmão.
Se alguém dá com uma mão,
logo, puxa com a outra;
a vida é sempre potra
e o destino é redomão.

Se o sol larga da cisma
de se deitar colorado,
e vai dormir bem tapado
no fim do quarto minguante,
o sonho do retirante
a cada muda se renova!
Se chover na lua nova,
chove nos quartos restantes.

E o campeiro gasta a vida
pedindo que mude o vento,
e um temporal aguachento
traga-lhe a paz e a bonança,
e possa voltar pra estância
com a rebrota do pasto,
recuperar o tempo gasto
campereando a esperança.

Com a chuva vem fartura
de repasto e de quimeras,
e a estância que foi tapera
renasce da chuvarada
volta o homem pra morada
reaprendendo a sonhar
e a nunca mais reclamar
da chuva e da enxurrada.

terça-feira, 17 de novembro de 2009



AUMENTARAM OS JOÃOS-DE-BARRO.

Participamos em 07/11/09 do XII Rodeio Artístico e Cultural do Piquete Saraquá, representando o GR. Cavaleiros da Fronteira Oeste, na prova de Redação Temática e na Declamação, onde logramos a láurea de ser Bicampeão 2008-2009 da Redação e Campeão da Declamação 2009 MTG.
Por essas vitórias estamos gratos ao Patrão Velho do Céu, e todos os amigos que torcem pelo nosso sucesso. Gracias hermanos.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

TROVA LITERÁRIA.






Vencedores dos XX JOGOS FLORAIS DE PORTO ALEGRE - CONCURSO DE TROVAS LITERÁRIAS são premiados:




Dia 24 de Outubro foram premiadas as nove trovas vencedoras dos XX JOGOS FLORAIS DE PORTO ALEGRE - CONCURSO DE TROVAS LITERÁRIAS, que teve o apoio da EDIPUCRS e foi desenvolvido pela UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES, da secção de Porto Alegre. O concurso se destinou a alunos, professores e funcionários da PUCRS dos Campi Porto Alegre, Uruguaiana e Viamão, tendo como tema o OLHAR para trovas lirícas e/ou filosóficas, onde cada participante pode enviar no máximo tres trovas inéditas.


Os vencedores foram recepcionados em cerimônia realizada na Câmara Municipal de Porto Alegre - Teatro Glênio Perez, onde receberam troféu, diploma e edição da trova em um livro publicado pela Gráfica Epecê.


Porém, devido a grande adesão do concurso, tendo quase 50 trovas inscritas, a EDIPUCRS procurou premiar a todos que participaram e não só aos vencedores através da publicação de um e-book, ou seja, um livro eletrônico, este que possui o acesso gratuito no site da editora e que além de trovas escritas o e-book apresenta as trovas vencedoras em formato de áudio, possibilitando que a trova seja ouvida.


Acesse o link e conheça os vencedores e todas as demais trovas participantes do concurso: