MOMENTO DE REFLEXÃO!

Não faça nada daquilo que possas te arrepender, pois, se o arrependimento vier não terás o que fazer

sábado, 24 de janeiro de 2009

TESTAMENTO.


Cuia velha de porongo,

curtida ao sol de Janeiro
chamuscada no braseiro
do grande fogo de chão,
tu moras no coração
do pampa sul-brasileiro.

Quando te entonas faceira
na grande roda de mate,
culturas vêm pro debate
de povos e gerações
misturando as opiniões,
os dialetos e os sotaques.

Cuia amiga e campechana
não prescindas da tua sorte!
Nunca decretes a morte
das charlas do meu Rio Grande,
deixe o progresso que ande,
mas não mudes o teu norte.

Cuia velha desbocada,
do bojo liso de mãos,
oscularam-te com sofreguidão
grandes vultos da história,
fostes troféu de vitórias
das lutas deste rincão.

Com a bomba de metal prateado
és amiga para tudo,
na hora do mate “cuiudo”
aglutinas esperanças,
cumpres a atávica herança
de unir povos do mundo.

Quero teus salmos de glória
escritos em memoriais,
e quero teus armoriais
gravados pra sempre na pampa
e que se guarde tua estampa
como herança dos ancestrais.

Um dia quero meu filho
sorvendo teu mate quente,
levando sempre na mente
o estandarte gaúcho,
embora com outros luxos
mas sem pensar diferente.


terça-feira, 6 de janeiro de 2009

DEGRADAÇÃO.

Hoje, sou um homem triste
na forma que vejo o mundo,
em que poço mais profundo
meteu-se a humanidade?
Por quê, tanta crueldade
de gente sem coração,
irmão que mata o irmão
sem um pingo de piedade.

Quando o bandido cruel,
mata a criança inocente,
nos sentimos impotente
em tecer questionamentos.
Tomando por ensinamento
os fatos lá do passado
soubemos que é fadado
a cair no esquecimento.

Quantas mortes causadas
pelo tal “da moto-serra”,
que a Amazônia enterra
nas entranhas de sua mata.
A memória até me falta
pra lembrar o Pataxó
que foi queimado sem dó,
e o caso virou cascata.

Façamos a “minha culpa”
no rastro dessas tragédias,
que nunca vire comédia
a punição dos culpados,
que não passam de coitados
sem Deus, moral ou valores
mas que cometem horrores
sabem – serão perdoados.

Onde estarão os limites
que meu pai me ensinou?
Será que o tempo mudou
o respeito ao semelhante,
fazem leis itinerantes
pra justificar os salários
e beneficiar salafrários,
facínoras e traficantes.

Criança que faz criança
e joga à-toa no mundo,
só pra virar vagabundo
e o bandido do futuro.
O embate é muito duro
aos deserdados da sorte,
só restando-lhes a morte
e o destino bem escuro.

Os ricos e nababescos
se perdem em futilidades,
e não acham utilidades
ao dom da vida - de Deus.
Transformam-se em fariseus
vivendo de aparências
e sustentam a opulência
à custas dos sonhos seus.

Precisamos achar saída,
para este beco fechado,
pois, seremos trucidados
pela nossa letargia,
e haverá de vir o dia
de ajoelharmos no chão,
e implorarmos perdão
de DEUS e a VIRGEM MARIA.

PAI NOSSO que estais no céu.
Santo seja o teu Nome.
Por favor, não nos abandone
na hora da provação
te peço de coração,
tenha piedade dos filhos,
o mundo volta pros trilhos
na força da oração.